Encontros
de Filosofia
para Mulheres

com Anna Israel

artista, colecionadora, professora de teoria de arte,
e escreve sobre teoria e crítica de arte

INÍCIO: 18/08/2020
FINAL (PRESENCIAL): 22/09/2020

5 AULAS + 1 PRESENCIAL
TODA TERÇA-FEIRA
LOCAL: ZOOM
horário: das 19h às 20h30

COMPLEXO INTERATIVO DE ARTE ANNA ISRAEL
CONGLOMERADO ATELIER DO CENTRO

Filosofia para Mulheres

Essas aulas pretendem investigar nosso contexto atual, focando em questões de arte, psicanálise e questões da mulher, a partir de citações de grandes pensadores e artistas do nosso tempo.

Partiremos sempre de uma citação filosófica e vamos tentar pensá-la no próprio corpo, isto é, entender quais são as implicações reais dessas frases nas nossas vidas. Iremos utilizar essas citações de pensadores para pensarmos a nossa própria vida e o que queremos construir no mundo.

Cronograma
dos Encontros

PENSAR SOBRE OS PROBLEMAS DA ARTE APRESENTADOS NO NOSSO TEMPO – HOJE DEPENDEMOS DE INSTITUIÇÕES DE ARTE PARA NOS DIZER O QUE É UMA EXPERIÊNCIA ESTÉTICA, PARA NOS DIZER O QUE É ARTE.

PERDEU-SE UMA RELAÇÃO DA ARTE COM O COTIDIANO. ARTE VIROU ALGO QUE SÓ PODEMOS VIVER EM MUSEUS.

USAREMOS O PENSADOR JOHN DEWEY (1859-1952) COMO REFERÊNCIA PARA ABORDAR ESSAS QUESTÕES

LEITURA DO CONTO “MINEIRINHO” DE CLARICE LISPECTOR (1920 – 1977).

TEMÁTICA DA AULA SERÁ TRABALHADA EM CIMA DESSE CONTO ESCRITO POR UM GRANDE NOME FEMININO DA LITERATURA BRASILEIRA E MUNDIAL.

“A Mulher não existe”

Jacques Lacan (1901 – 1981)

O que o psicanalista francês estava querendo dizer com isso? Por que há tão poucas mulheres artistas na história da arte? Relação com o poder da mentira da mulher, perversidade da mulher.

A MÁQUINA HUMANA É MUITO MAIS SOFISTICADA DO QUE IMAGINAMOS.

RELAÇÃO DE ARTE COM ESPIRITUALIDADE A PARTIR DO FILÓSOFO FRANCÊS, GILLES DELEUZE (1925 – 1995).

“Eu vejo arte como um sistema de ação, que pretende, antes, mudar o mundo, do que codificar sentenças simbólicas sobre ele”

Alfred Gell (1945 – 1997)

DISCUSSÃO SOBRE ARTE ENQUANTO UM MOVIMENTO ATIVO NO MUNDO, E NÃO NECESSARIAMENTE UM MOVIMENTO CONTEMPLATIVO.

ENTENDER O QUE ESTÁ EM JOGO COM ESSA AFIRMAÇÃO.

ARTE COMO UMA ATIVIDADE REVOLUCIONÁRIA.

Informações técnicas

Duração

5 encontros no mês
1 encontro por semana
+ 1 última encontro Anna receberá todas em sua casa-coleção.
TOTAL: 6 encontros agosto / setembro – toda terça-feira
das 19h às 20h30

Local

Via plataforma virtual Zoom

Datas

18.08 | 25.08 | 01.09 | 08.09 | 15.09
22.09 Encontro na casa-coleção da Anna

Anna Israel

Nascida em Boston-EUA, em 1989, vive e trabalha em São Paulo. Em 2010, se tornou membro e colaboradora do Atelier do Centro, centro de formação e pesquisa expandida em arte, fundado pelo pensador, pedagogo e artista, Rubens Espírito Santo. Anna é artista, colecionadora, escreve sobre teoria de arte, e faz parte do corpo pedagógico do Atelier do Centro. Grande parte de sua investigação plástica, teórica e pedagógica está embasada na ideia de que arte não se reduz aos meios já conhecidos de arte, mas que a experiência estética e artística pode ser descoberta e inventada em outras áreas, como por exemplo em gastronomia, matemática, oratória, ou mesmo o próprio cotidiano poderia ser mais voltado à ser uma experiência estética diária.

Seu pensamento está muito embasado no “méthodo” criado por Rubens Espírito Santo, uma metodologia de ensino de arte que busca conduzir a ideia de arte a uma prática enraizada no cotidiano, nas tarefas diárias, nas pequenas coisas do cotidiano, nos minúsculos detalhes, no autoconhecimento, na constante reflexão sobre suas próprias ações assim como reflexões políticas do tempo em que vivemos e uma projeção de um tempo futuro: queremos solidificar uma ponte desmoronada entre o mundo prático e mundo teórico no nosso país.

Em 2010 começou sua coleção de arte, Complexo Interativo de Arte Anna Israel (CIAI), com o foco em investigar o objeto de arte de forma expandida e de investigar o artista dilatado, para além dos critérios de arte institucionais e do mercado.

Em 2015 publicou seu primeiro livro Sobre a Natureza Íntima da Arte: Relatórios das aulas de segunda de Rubens Espírito Santo, que é uma série de textos-relatórios de aulas com seu “mestre”.

Já expôs participou de exposições coletivas como 66o S alão Paranaense, no Museu Oscar Niemeyer em Curitiba, em 2017; Os Muitos e o Um no Instituto Tomie Ohtake em 2016; Programa de Exposições do CCSP, em 2016, Programa de Exposições no MARP, em 2015, entre outras. Em 2017 realiz ou sua primeira exposição individual intitulada Was Will Das Weib? (o que deseja uma mulher?), na Central Galeria, em SP.

Sua produção plástica versa sobre as mídias escultura, instalação, fotografia, vídeo, desenho, ecolecionismo. Se formou em artes plásticas pela FAAP em 2011, e em 2013 fez um curso de filmmaking na NYU.

Participou com assistente pedagógica dos cursos de Rubens Espírito Santo na Espanha, nos anos 2016, 2017 e 2018. No Atelier do Centro, ministra as aulas “Curso do Méthodo” desde 2016 e “Aulas teóricas de arte expandida” desde 2019.

© 2020 Téa – Todos os direitos reservados.

X